COMPARTILHE

Livro “O Cadeado”

Livro “O CADEADO”, de Marcel Damé, ou Aguirre Damé como assina seus textos. O autor registra poesias inspiradas nos momentos vividos por ele. O livro foi produzido pela Letrada Comunicação com recursos do Fundo Municipal de Cultura, confira a entrevista:

GC – Como tudo começou?

MD – Eu tinha uns 14 anos. Estava no primeiro ano, se não me engano, e um amigo meu queria montar uma banda. Como eu não tocava nenhum instrumento acabou que eu fiquei ‘encarregado’ de escrever as letras. E aí comecei a ler poesias e prestar mais atenção no que as músicas, principalmente as nacionais dos anos 80, diziam. O irônico é que a banda não vingou e eu sigo aí escrevendo até hoje…

GC – O que te inspirou a escrever?

MD – Acho que no começo mesmo o que me inspirou a escrever foram meus mini relacionamentos fracassados. Depois, conforme fui amadurecendo, – saí do colégio e comecei a faculdade e a trabalhar – lendo escritores famosos e também amigos meus que escreviam , acho que fui absorvendo coisas novas que me fizeram explorar também outras temáticas.

GC – O que te motivou a escrever seu livro?

MD – Quando comecei a escrever, mandava as poesias para amigos meus darem suas opiniões e isso já estava ficando um pouco chato. Aí, resolvi criar um blog para que eu não precisasse mais ir um a um mostrando o que eu escrevia. Por algum motivo, algumas pessoas, inclusive gente que eu nem conhecia, gostaram do que eu escrevia e o blog começou a ter vários acessos. Isso me motivou bastante. O pessoal começou a pedir pra que eu fizesse um livro, eu encontrei meus parceiros da Letrada, que abraçaram a ideia, e através do Fundo Municipal de Cultura esse lance do livro pode rolar.

GC – Sobre seu livro:

MD – Acho que as poesias d’O Cadeado foram feitas numa época um pouco conturbada da vida, dos 15 aos 20 anos mais ou menos. Muitas mudanças, muitas coisas novas, alguns sonhos, algumas saudades de coisas que passaram… e isso contribui pra este ser um livro que eu definiria como inconstante, cheio de conexões com a música, com o futebol e com tudo que cercou minha adolescência, mas que segue uma certa ordem de alguns fatos e consegue, ao menos na minha opinião, passar uma ideia de construção, de caminho – que nunca é na mesma
velocidade ou na mesma direção, mas cheio de altos e baixos que fazem parte da vida das pessoas.

GC – Haverá um segundo livro?

MD –  Sobre um segundo livro: quero aproveitar bem essa fase d’O Cadeado, poder divulgar e trabalhar em cima dele. Continuo escrevendo no www.ocadeado.blogspot.com e comecei um projeto com meus amigos Guilherme Oliveira e Arthur Mesquita com imagens no www.instagram.com/versostragosetragedias . Pretendo lançar outros livros, sim, mas não é algo que penso no curto prazo. Tenho um sonho de escrever um livro de poesia com vários outros escritores gravataienses, Gravataí tem muitos talentos ainda não conhecidos e espero que um dia isso possa se concretizar. Esse seria um objetivo anterior a um novo livro só meu.

GC – Onde encontrar “O Cadeado”?

MD –  Por e-mail ou facebook: marceldame@yahoo.com.br e www.facebook.com/aguirredame) e também na Livraria Santos do Shopping Gravataí.
Deixo também aqui as duas redes sociais d’O Cadeado:
www.twitter.com/ocadeado
www.facebook.com/ocadeado

Publicidade