COMPARTILHE

A presença feminina nos canteiros de obras avança a passos largos no Brasil – segundo dados recentes do Ministério do Trabalho são mais de 1 milhão de trabalhadoras atuantes nesta área. Em Gravataí, pelo menos 13 mulheres trabalham na construção de um condomínio residencial da MRV Engenharia.

A expansão do mercado da construção civil e a crescente exigência por mão de obra cada vez mais qualificada abriu oportunidades profissionais que há bem pouco tempo atrás eram exercidas apenas por homens. Ajudantes de pedreiro, pedreiras e pintoras são apenas algumas das funções de mulheres na construção civil brasileira.

Joana Darc dos Anjos, 36 anos, é um exemplo da força feminina que a MRV Engenharia emprega. Natural de Macau (RN) e há oito anos na função de armadora. “Entrei na construção civil por necessidade, e hoje estou muito satisfeita”, conta a profissional que também é mãe de dois filhos.

Até hoje, Joana se depara com espanto de algumas pessoas quando fala de sua profissão. Muitas vezes, relata, a surpresa vem até mesmo de colegas de trabalho. “Alguns me perguntam como posso fazer um trabalho tão pesado. Respondo que o esforço é o mesmo”, conta.

Publicidade