♪ PARA LER OUVINDOAMIGO PUNK – Graforréia Xilarmônica

Um dos estados que mais respira música no Brasil é o Rio Grande do Sul, isso é um fato. E ao falar da música daqui, é uma obrigação citar e lembrar do velho e onipresente rock. Em termos de cultura rock, somos o berço do país. A cada cidade, cada rua, cada esquina, vemos artistas e bandas ganhando seu espaço. E claro, em lugares onde essas bandas se lançam e muitas explodem no mercado, como no Bar Opinião, no Beco ou em alguns pubs espalhados por Porto Alegre e em diversos pontos no estado.

A maioria dos artistas do rock gaúcho são independentes, mas que mesmo assim são capazes de lotar shows, vender discos, possuir hits reproduzidos em rádios.. O Rio Grande do Sul é definido por muitos, como a Inglaterra do nosso país. Além da sonoridade e estilo da maioria dos artistas se assemelharem a de grandes astros do rock inglês, sua criatividade e preocupação em mostrar qualidade musical aos seus fãs, acima de apelos comerciais, trazem força ás comparações. Com isso, fora os grupos provindos daqui, sempre há novos migrando pela fronteira em busca de público fiel e sedente por boa música. Aqui encontramos bandas de estilos que até são um pouco ultrapassados em vista aos que temos em alta de hoje em dia, mas também muita “gurizada” nova apostando na atualização do ritmo e ganhando também seu espaço no ramo.

Se você quer achar bandas de punk rock, no Rio Grande, tem Tequila Baby. Se optar por hard rock, tem Rosa Tattooada. Se buscar metal para aumentar os ânimos, tem Hangar. Fora outros artistas como Júpiter Maçã, Cachorro Grande, Bidê ou Balde, Cidadão Quem, Nenhum de Nós… todos tão inovadores, sempre dando o privilégio para o público apreciar canções inteligentes e muito bem trabalhadas.

Muitos afirmam que o rock não é mais o mesmo e, realmente, com o tempo ele se modificou sim, mas dentro de todas as suas abrangências e diferentes tipos de subgêneros que nasceram, aqui ele continua vivo e ótimo. Se você quer música, se você quer rock, se você quer qualidade e tradição, então conecte-se com o rock gaúcho!

Uma homenagem do ValePOP ao ritmo musical pai de todos os outros e aos artistas gaúchos que mantém vivo o verdadeiro espírito rock and roll no Brasil. Porque o Rock é Pop!

COMPARTILHAR
Artigo anteriorGlorinha decidiu suas demandas para Consulta Popular RS 2017
Próximo artigoResenha | Rei Arthur: A Lenda da Espada
Antes de estar aqui no Vale7, me aventurei como newposter e social media do Portal POPLine, que hoje é o site de música mais bem sucedido do país, posteriormente idealizei o blog Diibep também do ramo de entretimento, além de pequenas colaborações em artigos e colunas em alguns websites, buscando sempre estar ligado e atualizado na cultura pop. Como colunista, estarei explorando o lado pop e cultural da região, através de notícias,  resenhas, entrevistas entre outras formas de trazer aos leitores a informação e o conhecimento sobre assuntos que se encaixem na temática.

4 COMENTÁRIOS

  1. O Rio Grande é um estado BEMMM particular, sempre fazem a diferença de uma forma ou de outra no Brasil. “Nunca duvide de um gaúcho”, sempre ouvi esta frase e é verdade. Foram capazes de ficar por quase 10 anos separados na república farroupilha, isso para falar em termos históricos. Em arte cultura e música tem importância de mesmo peso.
    Acho que você pontuou bem as caracteristicas regionais do rock…particularmente sou apaixonada por cachorro grande e bide ou balde….sensacional! um beijo e vida longa ao rock!

  2. Adorei a ideia de abordar isso em uma postagem, principalmente por esse 13 de Julho ser justamente o Dia Mundial do Rock. Parabéns pelo blog e um grande abraço!

  3. muito informativo seu texto. Não tinha a dimensão de que Porto Alegre fosse a Londres brasileira. Sorte de quem pode desfrutar de cenário cultural e estar conhecendo novas músicas.

  4. Poxa, tem muito o que se falar sobre o bom e velho Rock Gaúcho. Saudade da Rádio Ipanema onde se podia ouvir rock o dia todo dos clássicos às novidades. Saudade de lugares como o garagem hermética e principalmente muita saudade do nosso querido Beatle gaúcho Flavio Basso, mais conhecido como Júpiter Maçã. O bom é que ainda temos grandes representantes desse estilo clássico, que contrariando as previsões de muitos, nunca vai morrer, ao contrário, segue firme e forte para alegria de todos os fãs do bom rock and roll.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite um comentário!
Por favor informe seu nome