Divulgação

A segunda-feira (29), foi movimentada, mais uma vez, no Pampas Safari em Gravataí. O Ministério Público, através da Promotoria de Justiça de Defesa Comunitária de Gravataí instaurou inquérito civil para apurar possíveis irregularidades, além de solicitar documentos ao Ibama.

Além de ter acompanhado a fiscalização realizada na última semana pela Fundação de Meio Ambiente de Gravataí, a promotora de Justiça Carolina Barth Loureiro Ingracio já ouviu veterinários envolvidos na questão. “As informações são contraditórias sobre o surto de tuberculose entre os animais do parque, uma vez que foi constatado que o local onde estão os cervos selvagens é protegido por telas e alguns depoimentos indicam que os animais não estariam infectados. Por isso estamos adotando uma posição de cautela pra verificar essas informações”, explicou a promotora.

De acordo com Carolina Barth Loureiro Ingracio, “o Ministério Público vai tomar todas as medidas possíveis para garantir a segurança dos animais e também da população que habita o entorno do parque de animais selvagens”. Ela acrescentou, ainda, que o MP “está zelando para que não sejam feitos abates desnecessários”.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorOperação da PF investiga suspeitas de superfaturamento em obras da quarta faixa da Free Way
Próximo artigoPampas Safari: Laudos afirmam que cervos não estão com Tuberculose
Apresentador de rádio nas emissoras da Rede Pampa de Comunicação. @kleriton

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite um comentário!
Por favor informe seu nome