Vale do Gravataí, sábado 25 de março de 2017

    Rural

    Rural

    Federarroz

    A 27ª Colheita do Arroz é realizada na Estação Experimental do IRGA em Cachoeirinha. E diversas atividades estão sendo realizadas, com foco no produtor, trabalhador, engenheiros e público interessado.

    Quer saber as atividades de hoje? Confira a programação:


    – 07:00 – Inscrições
    – 07:30 às 12:30 – Roteiro nas Vitrines Tecnológicas

    – 14 às 19:00 – Dinâmicas de tratores e equipamentos. Local: Área de Dinâmicas

    Fórum Mercadológico – Local: Auditório Principal

    – 14:00 – Abertura
    – 14:15 às 14:45 – Foco na Rentabilidade: Gestão das InformaçõesMarcelo Lagemann – Engenheiro Agrônomo, Economista e Sócio da Connectere AgroGestão.

    – 14:45 às 15:45 – A Conturbada Economia e os Reflexos na Lavoura – Palestrante: Marcelo Portugal – PhD em Economia, Professor Pós-Graduação da UFRGS, Pesquisador CNPq e Consultor.

    – 15:45 às 16:45 – Intervalo

    – 16:45 às 17:45 – Mercado de Arroz das Américas – Palestrante: Jeffrey Fajardo López – Economista, Especialista em Relações Internacionais, Diretor Executivo da Câmara Induarroz / Colômbia.

    – 17:45 às 18:45 – Cenários e Perspectivas do Mercado de Alimentação do Brasil – Palestrante: Sérgio Molinari – Fundador da Food Consulting e Food Experts. Conselheiro estratégico, consultor e pesquisador sobre o mercado de Foodservice. Professor do curso Gestão Estratégica de Foodservice, na ESPM Moderadora: Leila Picolli – Professora Associada do Depto. de Zootecnia UFSM, Pesquisadora de Produtividade Científica CNPq e Orientadora dos Programas de Pós-Graduação de Zootecnia e Tecnologia de Alimentos.

    Reunião da Celarroz – Confederação de Entidades Latino-Americanas de Arroz – Local: Auditório 2.

    – 19:00 às 20:00 – New Holland em Campo – Mais de 100.000 pessoas já se surpreenderam com este show em todo Brasil nos últimos 3 anos. Local: Área de Dinâmicas.

    Federarroz

    A 27ª Colheita do Arroz é realizada na Estação Experimental do IRGA em Cachoeirinha. E diversas atividades estão sendo realizadas, com foco no produtor, trabalhador, engenheiros e público interessado.

    Quer saber as atividades de hoje? Confira a programação:


    07:00 – Inscrições
    07:30 às 12:30 – Roteiro nas Vitrines Tecnológicas

    Auditório 2

    10:00 às 13:00 – Reunião da Câmara Nacional Setorial do Arroz

    Área de Dinâmicas

    – Dinâmicas de tratores e equipamentos – 14 às 19:00.

    Fórum Técnico – Aditório Principal

    14:00 às 15:00 – Painel: Sistemas integrados e manejo conservacionista Lavoura do futuro, papel do Irga, papel de outras instituições.Palestrante: Filipe Selau – Mestre em Ciência do Solo e Pesquisador do IRGA | Painelistas: Ibanor Anghinoni – PhD e Professor em Ciência do Solo e Consultor Técnico do IRGA, Enio Marchesan – Doutor em Fitotecnia e Professor da UFSM e Jair Buske – Produtor em Agudo.

    15:00 às 15:30 – Caminhos para a sustentabilidade na propriedade agrícolaDaniel Falchetti – Engenheiro Ambiental e Pós-graduado em Gestão Estratégica de Negócios – Fundação Espaço ECO / SP

    15:30 às 16:30 – Painel: Brusone: Problemática da doença, soluções do Irga, dificuldades, o papel das cultivares, de onde está vindo a resistência
    – Palestrante: Claudio Ogoshi – Doutor em Fitopatologia e Pesquisador do IRGA na Seção de Melhoramento Genético. Painelistas: Fernando Correa – Doutor em Fitopatologia e Líder do Programa de Arroz do CIAT, Marcelo Gravina – Doutorado em Fitopatologia e Prof. Titular da UFRGS e José Mathias Bins Martins – Produtor em Mostardas.

    16:30 às 17:15 – Intervalo

    17:15 às 18:15 – Manejo do 424 RI/CL buscando melhor qualidade na indústria e avanços na genética. Palestra: Rodrigo Schoenfeld – Engenheiro Agrônomo e Gerente da Divisão de Pesquisa do IRGA.

    18:15 às 18:45 – Desenvolvimento de cultivares de arroz irrigado da Embrapa para o sistema ClearField: BRS A701 CL e BRS Pampa CL Ariano Martins de Magalhães Júnior – Engenheiro Agrônomo, Doutor em Melhoramento Genético de Plantas, Pesquisador da Embrapa Clima Temperado.

    19:00 – Coquetel de entrega das Homenagens – Lavoura Nota 10, Pioneiro do Arroz, Amigo do Arroz, Mercado Externo, Mercado Interno, Imprensa, Inovação, Técnico Estadual, Técnico Federal, Competitividade, Sustentabilidade.

    Comunicação IRGA / Divulgação

    O maior evento do arroz no calendário do país, começa hoje com sua abertura oficial na Estação Experimental do IRGA em Cachoeirinha. É a 27ª abertura oficial da Colheita do Arroz.

    A realização da 27ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz possui o objetivo de desenvolver o setor orizícola, reunindo produtores, autoridades, entidades e empresas do agronegócio do arroz com a finalidade de mostrar, a campo, os últimos avanços científicos e tecnológicos na cultura do arroz, bem como discutir a realidade sócio-econômica do setor em nível nacional e internacional. O evento organizado pelo IRGA e Federarroz.

    Serão mais de 8 mil produtores nos três dias do evento. Além da presença das principais lideranças do setor do agronegócio, produtores e técnicos do Uruguai e Argentina, engenheiros agrônomos, pesquisadores, profissionais da agroindústria e representantes de universidades, instituições financeiras, seguradoras, tradings e da imprensa especializada

    A 27ª Abertura oficial da Colheita do Arroz, acontece entre hoje (16) e sábado (18) na Estação Experimental do Arroz – IRGA. Rua Bonifácio Carvalho Bernardes, 1494 – Antonio Wilkens, Cachoeirinha.

     

    Sara Kirchhof / Divulgação / Irga

    A 27ª edição da Abertura Oficial da Colheita do Arroz na Estação Experimental do Arroz, foi realizada na sede do Irga, em Cachoeirinha. O evento será de 16 a 18 de fevereiro de 2017.

    A abertura da colheita nacional do arroz, foi destaque nas palavras de Guinter Frantz, presidente do Instituto Rio Grandense do Arroz. Projetos de produção e incentivo ao consumo do arroz que estão sendo desenvolvidos pelo instituto, como a formulação de materiais resistentes à doenças e que use menos defensivos agrícolas.

    No Estado, mais de 9 milhões de toneladas será colhida em 2017, totalizando mais de 75% da produção Nacional.

     

     

    Segundo Henrique Dornelles, presidente da Federarroz, o Irga é indispensável para as produções de arroz em todo Rio Grande do Sul.

    A manutenção do Irga e o bom desenvolvimento do instituto é uma questão de manutenção da segurança alimentar brasileira“, salientou Dornelles.

    Outro destaque na abertura, foi o repasse de R$0,52 centavos por saca vendida ao Irga, para o investimento na pesquisa e ferramentas da produção do arroz.

    Trouxemos a Abertura Oficial da Colheita do Arroz para cá porque é aqui onde nasce tudo em tecnologia para a lavoura e queremos valorizar este órgão também compartilhando esta visão que temos com a sociedade gaúcha e brasileira“.

    >> com informações

    Divulgação / DCS Gravataí

    A Costa do Ipiranga ganhou um reforço especial para atender as demandas da comunidade: foram destinadas para a subprefeitura uma retroescavadeira, um caminhão e uma patrola que garantirão a ampliação dos serviços para os moradores.

    Os equipamentos são do maquinário da Prefeitura Municipal.

    O subprefeito da Costa do Ipiranga João Eitor agradeceu e disse que o alcance dos serviços aumentará bastante com os veículos novos. “Sem dúvida, a maior beneficiada será a população”.

    Dentre as ações realizadas pela subprefeitura estão patrolamento, ensaibramento, alargamento de vias, revitalização de estradas, dentre outros.

    As demais subprefeituras devem receber equipamentos para as obras da região.

     

    Divulgação RS

    O boletim divulgado pela Política Setorial do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) mostra que toda área destinada ao plantio de arroz no Vale do Gravataí, foi utilizada com sucesso e superou as expectativas.

    Em algumas propriedades, foi cerca de 103% de área plantada, superando os últimos anos.

    A região esperava semear 22.100 hectares, mas, com estas mudanças, estamos fechando a semeadura em 22.400 ha”, explica Vagner Martini dos Santos, engenheiro agrônomo, responsável pelo 7º Núcleo de Assistência Técnica (Nates), que cobre os municípios de Santo Antônio da Patrulha, Caraá, Glorinha, Gravataí, correspondentes à região da Planície Costeira Externa.

    O RS conseguiu ultrapassar a marca inicial projetada, ficando dentro da média dos últimos cinco anos.

     

    Divulgação / SMAA

    A cidade de Gravataí segue recebendo novo equipamentos agrícolas, para aprimorar as produções locais e incentivar novas agriculturas.

    Os equipamentos chegam através de um convênio foi firmado no valor total de R$ 735.094,80, e ficará à disposição da população para consulta. “Além de atender os produtores, o projeto tem como objetivo principal promover uma agricultura mais sustentável, através do uso de técnicas de menor impacto ambiental, como o incentivo à transição do preparo convencional de solo para o preparo mínimo e ou sistema de plantio direto, bem como o incentivo à produção de composto orgânico, a compostagem“, afirmou o secretário municipal de Agricultura e Abastecimento, Rafael Evaldt.

    Um repasse federal no valor de R$ 674.902,80, por meio do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento,  será utilizado em roçadeiras, distribuidor de calcário e adubo, enxadas rotativas, colhedoras de forragem, distribuidor de calcário tipo cocho, grade hidráulica, grades aradoras, grades niveladoras, triturador de galhos, carretas agrícolas, semeadoras/adubadoras de plantio direto, arados agrícolas, plaina agrícola, subsolador e distribuidor de sementes.

    A contrapartida desta etapa do projeto é de R$ 60.192,00, e será do Fundo Municipal de Desenvolvimento Rural. Os valores pagos pelos serviços de trator e implementos são destinados a este fundo e revertidos para aquisição e manutenção de maquinário agrícola.

    Divulgação / SMAA

    Começou nesta semana a terraplenagem da primeira Central de Comercialização de Produtos Agrícolas de Gravataí. O empreendimento ficará na Estrada Rincão da Madalena, 10540, Loteamento Las Palmas.

    A estrutura será de 600m² e contemplará 38 estandes para o comércio de queijos, embutidos, mel, hortifrutigranjeiros, pães e mudas de flores, e 28 vagas para estacionamento, o que beneficiará mais de 40 famílias que vivem da agricultura familiar.

    O projeto teve auxílio financeiro do Governo Federal, portanto não onerou os cofres municipais“, relata o secretário Rafael Evalt.

    Evaldt também objetiva a iniciativa. “O propósito do local é a concentração dos nossos produtos e agricultores que comercializam os seus próprios produtos, como mel, embutidos e queijos, além disso, teremos um controle efetivo e seguro das matrizes rurais“, compartilha.

    Os produtores interessados em obter um espaço na Central podem se inscrever na SMAA, que fará visitas às propriedades auxiliando tecnicamente o desenvolvimento da produção.

    Divulgação / AL-RS

    Cerca de 200 pessoas abraçaram simbolicamente o Rio Gravataí para celebrar a recomendação do Ministério Público do Rio Grande do Sul que deixa parte da Área de Preservação Ambiental Banhado Grande livre de pulverização aérea de agrotóxicos.

    A recomendação do MP é fruto do acúmulo de problemas causados ao meio ambiente no Banhado Grande, principalmente pelo uso indiscriminado de veneno em lavouras próximas da área de preservação, que além de contaminar e inutilizar as águas compromete a biodiversidade do Rio Gravataí. O Banhado Grande é o quarto território que já tem proibição de pulverização aérea no estado.

    Durante o evento, o promotor de Justiça Eduardo Viegas, perguntou aos participantes quem se sentia corajoso o suficiente para tomar um copo de água não tratada do Rio Gravataí – o quinto mais poluído do Brasil, conforme dados do IBGE. Ao fazer a provocação, ressaltou que o país está em último lugar em áreas como saúde e educação, mas lidera o ranking de maior consumidor de agrotóxico do mundo.

    Nós utilizamos venenos que são proibidos em seus países de origem, e o Brasil está sendo cobaia humana dos fabricadores de veneno”, salientou Viegas.

    O acordo estabelecido em agosto de 2016, entre o MP, FEPAM e entidades que representam os grandes produtores de arroz, prevê proibição de pulverização por um período de dois anos. A partir de 2018, o Conselho da Área de Preservação do Banhado Grande deverá ter um plano de manejo que vai determinar a continuidade da proibição, com possibilidade de aumento do perímetro sem voos de avião.

    O Rio Gravataí tem uma extensão de 39 quilômetros desde sua nascente, e suas águas são responsáveis pelo abastecimento de 1,2 milhão de pessoas. Ele também chega ao Assentamento Filhos de Sepé, em Viamão, onde são produzidas toneladas de arroz e hortifrutigranjeiros orgânicos.

    O ‘Abraço ao Rio Gravataí’ também marca o Dia Mundial de Luta contra os Agrotóxicos, celebrado no dia 3 de dezembro. “Este é um ato em defesa da vida”, finalizou Sérgio Cardoso, coordenador do Projeto Rio Limpo de Gravataí.

    >> com agência de notícias AL

    Julie Moresco/Irga

    O arroz que é plantado no Vale do Gravataí está quase concluído, sendo 240 hectares do grão, segundo os dados do Governo do Estado.

    A chuva que caiu em outubro acabou contribuindo para este atraso. O fenômeno climático La Niña foi considerado ameno para o arroz, comparado ao fenômeno El Niño, realidade enfrentada nas duas safras anteriores, ficando um pouco prejudicada, áreas inteiras emergiram ao mesmo tempo, o que dificultou a irrigação.

    Este pequeno atraso, que extrapola a janela ideal de plantio, não chega a preocupar, segundo os especialistas do Irga.

    Publicidade