Deise Froelich/Divulgação

O tempo seco e as altas temperaturas, próximas de 40ºC neste mês, com sensação térmica de 42ºC, nem mesmo as precipitações, que amenizaram o forte calor, foram suficientes para recompor a umidade no solo. Segundo o Informativo Conjuntural divulgado pela Emater/RS-Ascar, esse cenário, aliado à perspectiva de um verão com chuvas abaixo da média, tem preocupado os produtores.

Importantes culturas, como milho e soja, se encontram em fases críticas quanto à deficiência hídrica. Caso se confirme o prognóstico de pouca chuva, neste momento em que a maioria das lavouras se encontra em fases de floração e formação de grãos, a probabilidade de uma redução na produtividade das culturas aumenta de maneira significativa.

O controle de ervas invasoras feito antes da diminuição da umidade do solo foi considerado satisfatório, embora alguns produtores tenham deixado passar o ponto ideal de aplicação dos herbicidas, resultando em permanência de plantas daninhas em algumas áreas. A aplicação de fungicidas também começa a ficar prejudicada devido à baixa umidade.

Com esse cenário, as lavouras começam a entrar em fase de floração de modo mais intenso, alcançando nos últimos dias 3% do total da área semeada nesta safra que é de 5,7 milhões de hectares, aproximadamente.

>> com informações da Emarter-RS/Ascar

COMPARTILHAR
Artigo anteriorSartori entrega hoje, em Gravataí, seis novas viaturas para o Vale do Gravataí
Próximo artigoVerão18 | 210 mil veículos pela Free Way no Ano Novo
Apresentador de rádio nas emissoras da Rede Pampa de Comunicação. @kleriton

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite um comentário!
Por favor informe seu nome